volta a página principal volta a página principal
 
   

 
  • A técnica de Ponseti foi desenvolvida pelo ortopedista espanhol Dr Ignacio Ponseti residente na cidade de Iowa, nos Estados Unidos. Há mais de 30 anos, ele estuda essa condição ortopédica.

  • Nos anos 50, o tratamento com ampla liberação cirúrgica do pé torto congênito teve grande desenvolvimento, e nas décadas que se seguiram, este foi considerado o padrão ouro de tratamento.
    A cirurgia, no entanto, não é livre de complicações. Ela consiste em extensa liberação de tendões, ligamentos e cápsulas articulares de toda a parte média e posterior do pé, para proporcionar alinhamento e posicionamento adequados. Frequentemente, o pé operado é mais rígido, devido à fibrose resultante da intervenção cirúrgica. Há , ainda, a possibilidade de hipo ou hiper correções, que podem requerer cirurgias complementares.

  • Essas foram algumas das razões pelas quais Dr Ponseti dedicou vários anos ao estudo da biomecânica do pé torto congênito, as relações entre as articulações e como elas se movimentam em conjunto neste "arranjo" não usual, presente nessa condição.
    Estes estudos resultaram nessa técnica de tratamento conservador, com manipulações artesanais e indolores do pé objetivando pés com aspecto normal, indolores, plantígrados, e com mobilidade.

  • No livro de Ortopedia Pediátrica lançado pela SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia) no Congresso Brasileiro de Ortopedia em Recife, em out/nov de 2003, a técnica de Ponseti é apontada como melhor forma de tratamento conservador para o pé torto congênito idiopático.